Early Modern Portuguese periodicals (in Portuguese)

Para minha própria referência neste projeto, andei procurando pela web periódicos portugueses da época moderna. Eis o que encontrei:

A Biblioteca Nacional Digital tem disponíveis alguns anos da primeira gazeta em português, a Gazeta em que se relatam todas as novas que ouve nesta corte…” (1641-1647). O “link” mais completo é este, de novembro de 1641 a agosto de 1645. Também lá está o “Mercúrio Português” (1663-1667), de António de Sousa de Macedo. A digitalização, neste caso, parece integral.

Quanto à Gazeta de Lisboa, sobre a qual trabalhei, falta infelizmente ainda digitalizar muito. A Biblioteca Nacional tem alguns números descontínuos entre 1734 e 1743, enquanto a Hemeroteca Digital começou a pôr em linha toda a coleção desde o início. Mas para já apenas acedemos aos anos entre 1715 e 1720 e o de 1810.

O projeto mais interessante de edição de textos noticiosos para a primeira metade do século XVIII é o das Gazetas manuscritas da Biblioteca Pública de Évora, um trabalho conjunto do CIDEHUS e do CHC que tem como objetivo disponibilizar a muito rica coleção de notícias manuscritas existente em Évora. Dois volumes foram publicados em livro — a maior parte está ainda por publicar. Se este projeto fosse transformado em edição online seria uma excelente notícia…

Por fim, já noutro âmbito, aqui vos deixo um link para o Vocabulario Portuguez e Latino, de Rafael Bluteau (1712-1720). Encontra-se no belo site do projeto Brasiliana, da Biblioteca Mindlin e da Universidade de São Paulo. Para o início de discussão que tivemos em Antuérpia sobre o significado nas diferentes línguas europeias de palavras como “gazeta”, “nova”, ou “notícia”, ou “noveleiro”, é aqui que vou pesquisar.

P.S. Atualização: através da lista Histport chegou-me esta página com ligações para fontes primárias do Centro de Estudos Históricos da UNL. Nesta lista, mais ou menos a meio, encontram uma série de outros anos da Gazeta de Lisboa, de volumes anuais (de bibliotecas norte-americanas) que foram digitalizados através do Google Books. Assim, cruzando várias fontes (como sempre…), chegamos à coleção quase completa.

 

AB

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s